Com ensaio exclusivo clicado por J.R. Duran, Eliana é capa da IstoÉ Gente


Prestes a completar 41 anos, ELIANA é capa da revista "ISTOÉ GENTE", que promete “conheça o outro lado de uma campeã de audiência aos domingos”. Na matéria de mais de dez páginas, além de falar de sua paixão pela arte e pela moda, da realização como mãe e do trabalho à frente da Editora Master Books, a comunicadora posa para as lentes do fotógrafo J. R. Duran usando peças de grifes como Dior e Carolina Herrera.


Antes de falar um pouco sobre suas outras facetas, o texto destaca O CARISMA da artista à frente do “Programa Eliana”. “Acho que isso tem a ver com o meu DNA. A alma do programa é muito ligada ao meu estado de espírito. Tem ligação direta com o que eu realmente acredito. Tem uma verdade ali e acho que isso dá credibilidade”.


Elogiada pela evolução e SOFISTICAÇÃO NO ESTILO, Eliana conta que escolher o look certo vai muito além de entender uma tendência. “O mais importante é ME SENTIR BEM e respeitar meu estilo. Sei que não adianta eu querer me vestir como as top models porque não tenho as mesmas proporções. Sou uma mulher de 1,60 m com formas ultrafemininas”, diz.

Essa assertividade também surge quando o assunto é seu interesse pela arte. “Tenho poucas obras ainda, pois elas precisam me emocionar. Não é apenas um investimento financeiro. Elas me TOCAM NA ALMA”, afirma a comunicadora e empresária, que adora estudar o tema e o transporta para a EDITORA MASTER BOOKS. Por ela, publicou mais recentemente “Não Pare na Pista – A Melhor História de Paulo Coelho”, de Carolina Kotscho; além de “Nina”, da artista plástica Nina Pandolfo; e “O Palhaço”, de Selton Mello.


Um de seus grandes orgulhos foi o nascimento de “CEGUEIRA, UM ENSAIO”, livro em que o cineasta FERNANDO MEIRELLES detalha o processo de produção do filme “Ensaio sobre a Cegueira”, baseado na obra do escritor JOSÉ SARAMAGO. “Foi uma grande honra receber o Meirelles e a Pilar (Del Río), viúva de Saramago, na minha casa e ouvi-la dizer que se ele estivesse ali, com certeza, ficaria emocionado”, recorda.

O lúdico está presente em seus diversos trabalhos, mas mais ainda quando chega em casa e recebe o carinho do filho, ARTHUR, que a compara com CINDERELA. “Ele é louco pelas princesas. E quando me vê de vestido longo fica encantado, dizendo que pareço uma”, diz. “Todo dia ele vem ao meu quarto, deita ao meu lado, me abraça e fica lá me olhando. E eu CONTO HISTÓRIAS que invento. O duro é quando ele pede para repetir.”

Nota publicada por DaquiDali
© Copyright 2015. Website by Eliana Life